top of page
  • Foto do escritorFluxo Criativo

Século 21 transforma a produção cultural

Já é tarde para dizer "Bem-vindos ao século 21", mas as transformações e mudanças de paradigmas parecem ter avançado muito nos últimos 5 anos, e isso, por si só, demonstra o estilo do nosso novo século.


O desenvolvimento tecnológico exponencial (tantas transformações em tão pouco tempo), as mudanças profundas no consumo e nos hábitos, geradas tanto por novas gerações de consumidores quanto pela mudança nas estruturas sociais; a vida digitalizada, inimaginável desta forma há apenas 20 anos atrás; os benefícios das tecnologias assistivas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida; a busca e, principalmente, a aceitação da diversidade e pluralidade de pessoas, sexualidades, identidades e ideias.


A força motora desse século, centrada nas pessoas e em suas singularidades, está transformando a produção cultural. É tão difícil relembrar que há apenas 2 anos estávamos no meio da pandemia da COVID-19 e que utilizamos as tecnologias como nunca antes? A utilização das tecnologias, para a produção cultural, além de garantir a atividade profissional e a remuneração dos artistas durante o período de lockdown, também adicionou ao consumo cultural públicos novos, que raramente se faziam presentes nos teatros e apresentações públicas: as pessoas com deficiência.


E quais as lições que levamos da pandemia? O que acontecerá se não nos esforçamos em criar e estimular um novo fazer artístico que seja inclusivo e universal? Em nossa perspectiva, os prejuízos são maiores do que o benefício de se manter a arte e os eventos culturais em padrões anteriores à pandemia. Devemos nos esforçar para estimular os artistas na busca de uma nova linguagem, de um novo fazer artístico.


Assim como os artistas do início do século 20, em todo o mundo, se esforçaram para criar novas formas de se expressar em todas as linguagens, muitas vezes virando as costas aos seus mestres e antecessores, assim também devemos seguir: reinventando técnicas, reavaliando processos artísticos, enxergando o mundo através de outros corpos, em busca de um entendimento mais profundo sobre o olhar de uma pessoa com deficiência.


A imagem apresenta o símbolo da acessibilidade universal  com transparência, permitindo enxergar, ao fundo, a imagem de uma plateia de teatro lotada com pessoas.
Símbolo da Acessibilidade Universal

Nossa visão para a arte do século 21 é de uma arte plural, diversa e que considera não apenas a visão do artista, mas também as possibilidades da recepção pelo público. Uma arte que considera as múltiplas formas de viver e pensar, e que se coloca em um local de riscos e tentativas até acertar com um e outro público.

Não há porque voltar atrás.


Estamos nos comprometendo em criar, em todos os nossos novos projetos, e em fomentar em todos os projetos em que estivermos produzindo, uma arte mais acessível e inclusiva, de forma a ampliar os públicos e ajudar o desenvolvimento das diversas linguagens e expressões artísticas e culturais. Nos comprometemos, também, em discutir mudanças concretas junto às prefeituras onde prestamos consultoria em políticas culturais para permitir a fruição e a criação artísticas por públicos mais diversificados.


Se você quer inovar em seus processos artísticos e de produção cultural, ampliando seus públicos para as pessoas com deficiência, nos chame para um café, que teremos prazer em ajudar seus sonhos se tornarem realidade.


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page